Estar sozinha me ensinou que essa coisa de ser livre é pura ilusão. Há quem diga que ter caminhos a percorrer durante uma vida ou uma tarde inteira e não ter que explicar absolutamente nada para ninguém é uma condição de liberdade. As estradas que peguei no caminho entre sudeste e o sul não levaram a lugar nenhum e isso é simples: O caminho está na alma, o ser humano é um parasita, o amor está nas entrelinhas e no fundo, sempre deixamos algo preso em alguém pelos caminhos. 

Faz parte do instinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário