minha amada gaivotinha
ao mangue de sal que me espera
o ocaso do cais, um acaso:

revirei-me do avesso
para te merecer em acalento

Nenhum comentário:

Postar um comentário