pássaros e cigarras


Às vezes minha mente se torna uma jaula escura e limitada, às vezes quero gritar, porém sinto um alívio porque jamais vão me ouvir. Eu deito e velejo para o infinito escuro sobre a minha cabeça. Em solilóquio, palavras soltas com um sorriso ameno nos lábios: árvores, pássaros, pistache, notas sequenciais, o tom frio das cores do inverno, neve, lareira, praia vazia, caminhada noturna, cigarro de filtro vermelho, cortinas xadrez, vento que dança com as folhas soltas no chão, uma garrafa de vinho pela metade, ilhas, gaivotas e saudade.
E de repente sinto brotar galhos de trepadeiras no meu coração e elas cobrem toda minh'alma para que
os pássaros e as cigarras
possam
finalmente
cantar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário